Reduzir fonte Letra tamanho normal Aumentar fonte

Desportos de Natureza

 

desportos natureza  

O prazer do contacto com a natureza através dos Desportos da Natureza tem crescido no nosso país. A Autarquia do Sardoal está atenta a esta nova tendência desportiva e pretende, através dela, cativar as pessoas a visitar o Concelho na sua totalidade e não apenas a Vila.
A procura da prática destas modalidades desenvolve a economia local. Desta forma, estão a ser criados os meios para que algumas das modalidades dos Desportos da Natureza possam ser praticadas aqui, no Sardoal.
Se gosta de desporto e da natureza venha ao Sardoal e deslumbre-se!

 

 

Percursos Pedestres

6 percursos pedestres  

Há uma nova forma para descobrir o Sardoal! O Concelho tem agora uma rede de Percursos Pedestres, que lhe permitirá desfrutar da beleza natural, das tradições culturais e do património.

 

O Município empenhou-se em revitalizar alguns dos antigos caminhos usados pelos nossos antepassados, de forma a dar a conhecer a todos os recantos mais belos do nosso território.

 

  

 

Na Rota do Javali - PR1 SRD-ABT

na rota do javali  

Deixe-se envolver pela natureza, os sons, os cheiros, a água e os sinais deixados pelos animais, ou não estaria Na Rota do Javali.

Após a partida em Andreus, aproxima-se do local a salvo da peste, a Capela dos Barbilongos. Se quiser suba e faça como muitas pessoas fizeram ao longo de séculos, uma subida penosa. Continue ao longo do curso de água rumo ao Vale da Amarela.

Siga para S. Simão e desfrute do trilho ao longo da ribeira, um dos locais mais bucólicos, cujos tons mudam ao longo do ano. Encontra uma ponte em curva e um pouco mais acima, os vestígios da antiga Capela de S. Miguel, outrora local de devoção das povoações vizinhas. Irá fazer o regresso na companhia dos sons da natureza.

 

- Desdobrável 

 

- Ficheiro KMZ

 

- Ficheiro GPX

 

Trilho do Pastor - PR2 SRD 

trilho do pastor  

No antigo caminho que ligava Abrantes ao Sardoal passa o Trilho do Pastor.

É o trilho dos sentidos. Ouvir o tilintar das ovelhas e das cabras, sentir o cheiro da natureza, observar o património vivo do trilho, as oliveiras centenárias, o majestoso Sobreiro da Dona Maria, um dos maiores sobreiros da região. Mas também poder apreciar a nossa herança cultural, a Igreja Matriz, a Igreja da Misericórdia, as capelas, o Pelourinho e as nossas fontes e chafarizes. Aproveite e beba a água. Noutros tempos o Sardoal era conhecido pelas suas boas águas, atraindo a nobreza da altura. Faça o mesmo e percorra as mesmas ruas e caminhos por onde andaram reis e rainhas.

 

- Desdobrável 

 

- Ficheiros para Google Earth e para GPS

 

 

Do Pão ao Vinho - PR3 SRD 

do pao ao vinho  

Inspire, expire e sinta a Natureza ao seu redor, está na Lapa.
Outrora local de grande romaria em honra de Nossa Senhora da Lapa, atualmente é um dos locais de lazer do concelho. Na sua caminhada irá passar por antigas azenhas, uma ponte medieval e se tiver sorte, pode encontrar lontras. Suba até aos Moinhos de Entrevinhas, tal como muitos subiram para moer os cereais para fazer o pão. Deslumbre-se com a paisagem de lá. Do pão vai para o vinho! Atravesse as vinhas da Quinta do Vale do Armo, se for tempo delas, coma uma uva ou simplesmente, aprecie a paleta de cores da paisagem que o rodeia.

 

- Desdobrável 

 

- Ficheiros para Google Earth e para GPS

 

 

Via Romana - PR4 SRD 

via romana  

Qualquer uma das estações do ano é boa para percorrer a Via Romana, na Freguesia dos Valhascos, acompanhado por uma paisagem deslumbrante e abundante vida animal. O ponto alto será a calçada romana no Casal da Graça, local de romaria de tempos passados, onde existiu a igreja de Nossa Senhora da Graça.

Irá passar pela Fonte dos Mouros, pela Fonte da Queixoperra, pela Capela de São Bartolomeu, pela calçada medieval e até pelo sítio da forca do Sardoal, atrás da zona industrial. O percurso termina na Igreja Paroquial dos Valhascos, que alberga a escultura de Nossa Senhora da Graça.

 

- Desdobrável

 

- Ficheiros para Google Earth e para GPS

 

 

Caminho da Moura Encantada - PR5 SRD 

caminho moura encantada  

Prepare-se porque vai percorrer caminhos onde outrora se cruzaram Mouras Encantadas, lobos, bruxas e seus feitiços.

Partindo de Santa Clara, caminhe até à Presa. Os mais antigos dizem que daqui, em noites de luar, se vê o brilho dos cintos das Mouras Encantadas, a lavar as suas roupas nas águas da ribeira. Mais abaixo, na Rosamana, onde a Rosa e a Mana viviam, é um lugar repleto de lendas. No alto do penedo as pessoas deixavam linho e dinheiro, que no dia seguinte aparecia transformado em novelos de linha, dobados pelas belas mouras. Siga ao longo da ribeira até à barragem da Lapa e aproveite para ver as diversas espécies que fazem deste lugar a sua casa. Depois irá passar por lugares perdidos no tempo. No Pisão Fundeiro apenas ouvirá a água a correr e o restolhar das árvores, pois as casas e o lagar há muito que estão vazios. Suba até ao Pisão Cimeiro e à sua pequena capela em honra de S. Francisco de Assis. Se já estiver cansado pense que no final irá passar por um local onde a tradição “ainda é o que era”, na Artelinho, novamente em Santa Clara. Onde o linho ainda é semeado e transformado em linhas, depois tecidas nos teares de madeira em colchas e panos; o vime transformado em cestas; e os ovos em bolos amassados e nas mais deliciosas tigeladas de Portugal.

 

- Desdobrável

 

Ficheiros para Google Earth e para GPS

 

 

Calcorrear dos Resineiros - PR6

PR6  

A cada passo que der no “Calcorrear dos Resineiros” será transportado, pela sua imaginação, para outras épocas. Deixe-se envolver pela natureza, pelos pinheiros e até por algumas espécies raras da fauna, como a cegonha-preta, ou pela sinfonia das cigarras nos meses de verão. Ao mesmo tempo imagine os homens e mulheres que durante séculos palmearam estes caminhos. Andavam de pinheiro em pinheiro, para deles extraírem resina. Apesar de nos dias de hoje os resineiros estarem quase extintos, aqui ainda se sente a sua presença. Também Junot e os seus homens calcorrearam estes caminhos. Imagine-os, com os seus canhões, nestes terrenos acidentados, quase sem forças, a tentarem alcançar a cidade de Abrantes.


Encontrará no percurso dois antigos lavadouros, locais de reunião, de convívio, mas essencialmente de trabalho. Partilhados pelas mulheres que ali lavavam as suas roupas, muito antes de a água chegar às suas casas.


A sua última grande subida será recompensada pela paisagem que irá encontrar. Aproveite para repousar por alguns minutos enquanto observa o grande olival. Local de enorme azáfama de outros tempos, quando o azeite era o rei e a resina a rainha de Alcaravela.

 

- Desdobrável

 

Ficheiros para Google Earth e para GPS

 

 

Grande Rota da Prata e do Ouro – GR44 SRD/VLR

grande rota prata ouro  

Aviso – Em virtude dos incêndios de 2017 apenas é possível realizar o percurso, em condições de segurança, no Concelho de Sardoal.

 

Outros povos por aqui andaram muito antes de nós, agora chegou a nossa vez. Irá ter a Ribeira do Codes será o cenário de fundo. Já os romanos tinham descoberto as suas riquezas. Se vir aglomerados de seixos na ribeira, são vestígios da exploração mineira a céu aberto, de prata e de ouro, são conheiras. 

Na aldeia do Codes, hoje quase deserta, vai deparar-se com as ruínas de uma ponte que ligava os concelhos de Sardoal e de Vila de Rei noutros tempos. Pela sua dimensão, imagine o grande caudal que a ribeira levaria outrora.
Irá passar pela praia fluvial do Penedo Furado vigiada pela “Bicha Pintada”, provavelmente um fóssil. Entre ela e o grande rochedo, reza a lenda, que haverá um bezerro de ouro deixado por uma moira encantada. Aproveite, e se for tempo disso, refresque-se nas águas límpidas da ribeira ou das piscinas naturais.
Aproveite a riqueza natural dos locais cheios de mistérios e de lendas por onde vai passar.

 

- Desdobrável

 

Ficheiros para Google Earth e para GPS

 

 

Grande Rota Ribeiras de Arcês e Rio Frio e do Rio Tejo  – GR55

Percurso

1 - Mouriscas - Zona de Lazer da Lapa (Etapa)

Seguindo em direção a São Simão, o ramal de ligação conduz à Oliveira do Mouchão, com mais de 3350 anos. Aconselhamos que siga o percurso orientado a Sul, alcançando a Linha da Beira Baixa e o rio Tejo, em área coincidente com o antigo Canal de Alfanzira, acompanhando-os rumo a Oeste.

Infletindo pela subida, passando por baixo da ponte do caminho-de-ferro, os campos agrícolas levam-nos à estrada de asfalto, após o qual seguimos pela direita, calcorreando a calçada romana. Ao atravessar a ribeira de Arcês, e no seu encalce para montante, elementos notáveis do património construído, em harmonia com o ecossistema ribeirinho, compõem a paisagem. Após a fonte do Meirão, tomamos o caminho em terra batida à esquerda, chegando à Zona de Lazer da Lapa onde a visita à Capela da Senhora da Lapa é obrigatória.
ditamento ao alvará de loteamento

 

2- Zona de Lazer da Lapa - Queixoperra (Etapa)

Retomando a rota, em direção a Vale Formoso, atravessamos a zona florestal até à Capela de São Francisco de Assis, em Pisão Cimeiro. Regressando ao trilho, transpomos as pequenas hortas que conduzem a uma vasta mancha arborizada, até avistarmos Saramaga. Depois do troço em asfalto, trilhamos o caminho sobranceiro aos terrenos agrícolas para, a seguir à ponte, alcançarmos Queixoperra, terminando a segunda etapa.

 

3 - Queixoperra - Mouriscas (Etapa)

Prosseguindo em direção a Sul, a estrada em terra conduz à ribeira de Rio Frio, onde vários moinhos se cruzam com o circuito, com destaque para o núcleo do Poço das Talhas. Atravessando a ponte, percorremos a floresta, até ao Aterro dos Burros, tomando, depois, o percurso rumo a Lercas. Virando na passagem a Sudeste, regressamos ao contacto com a ribeira, onde pequenos atalhos dão acesso a moinhos e lagar. Seguindo a linha de água, aconselhamos visita à Capela de Nossa Senhora dos Matos. Logo após o Lagar do Domingos, o caminho com destino a Cascalhos e, de seguida à Oliveira do Mouchão. A partir da árvore mais antiga de Portugal, sugerimos que siga o ramal de ligação a Mouriscas, onde terminará a GR 55.

 

QR code GR55 Total

- Desdobrável

 

Ficheiros para Google Earth e para GPS

 

Trail Terras do Sardão

 

Edição V

V_1.jpgV_6.jpgV_4.jpgV_3.jpgV_5.jpgV_2.jpg

 

Edição VI

VI_4.jpgVI_5.jpgVI_7.jpgVI_3.jpgVI_6.jpgVI_2.jpgVI_1.jpg

 

Fotografias do Município de Sardoal, Miguel David (O Praticante) e “Bué da Fotos”

 

Numa organização do Município de Sardoal, com o envolvimento de diversas coletividades do Concelho, o Trail “Terras do Sardão”, que completou seis edições em 2019, é já uma referência em toda a região centro.
Ano após ano, o evento desportivo tem vindo a superar as expectativas, afirmando este Concelho como um palco privilegiado para a prática de Trail e de outras atividades de desporto na natureza.
Por trilhos, caminhos e veredas, o Trail “Terras do Sardão” inclui passagens por várias zonas emblemáticas, nomeadamente a barragem da Lapa, os Moinhos de Entrevinhas, a Zona de Lazer da Rosa Mana e o Centro Histórico da Vila.

 

- Visite Sardoal


Organização do Município de Sardoal

email:  Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

Telf.: 961 079 966 / 241 851 431 (Setor de Desporto) 

facebook icon Trail Terras Do Sardão

 

 

Esta página requer cookies para o seu bom funcionamento. Para mais informações consulte a politica de privacidade. Politica de privacidade .

Aceitar utilização de cookies
Politica de cookies